Fluxo de caixa positivo significa Gestão Financeira saudável?

dez 5, 2022

Ter um fluxo de caixa positivo – ou seja, onde acontece mais entradas que saídas – é a lógica para que o funcionamento de qualquer empresa ou instituição se mantenha estável e rentável.

Entretanto, o caminho para o crescimento transpassa ver o valor positivo de caixa como prioridade. Isso porque as questões financeiras de uma empresa precisam, para serem eficazes, de um plano de ação que envolva possíveis previsões do futuro; isto é, imaginar o que pode surgir pela frente.

Prever essas ações pode se demonstrar uma tarefa complicada quando há questões organizacionais a serem resolvidas, portanto, é essencial que se olhe para outros processos com clareza como conectados também a gestão financeira (como a captação e manutenção do relacionamento com alunos, colaboradores e fornecedores, por exemplo).

❕ Não esqueça: esses processos são os responsáveis por nutrir a área financeira da sua instituição. Olhar para o que acontece nesses setores e como se estabelecem as relações (tanto de gestão para colaboradores, quando dos colaboradores para com os clientes) são tão importantes quanto olhar para o dinheiro em si e no que ele é investido. Portanto, esse planejamento requer estratégia para visualizar os processos que acontecem dentro da sua instituição de forma mais ampla e considerando a totalidade do que constrói de fato o setor financeiro. Somente assim se poderá ter espaço para o desenvolvimento de ações que obtém resultado e trazem benefícios para a área.

Para que se possa planejar com eficácia, os sistemas de gestão são parceiros indispensáveis, auxiliando na visualização e registro dessas ocorrências, centralizando informações como: controle e organização de contratos, faturamento, automatização de registro de boletos, pagamentos e financiamentos, inadimplências e recebimentos e emissão de NFE (nota fiscal eletrônica). Além de agilizar o dia a dia, os softwares para IEs são descomplicadores das rotinas intrínsecas a essas áreas, podendo potencialmente otimizar a forma como seus colaboradores interagem com os processos financeiros e a relação que se constrói com clientes ou alunos a partir destes dados. Mas ter registros não é o bastante, é preciso avaliá-los de forma crítica e transformar os dados obtidos em implementações de ações.

Uma boa gestão não deve se basear somente na manutenção física do espaço e solucionar dívidas e empréstimos como objetivos, mas visar questões organizacionais que resultem em mudanças à curto, médio e longo prazo. As mudanças implementadas podem e devem demonstrar alterações não somente nos números, mas também na relação interna com as demais áreas de gestão da organização, estabelecendo uma gestão consistente e que divide metas.

Sabemos que dar os primeiros passos na transformação da gestão financeira pode ser uma tarefa desafiadora, por isso, criamos um e-book gratuito com dicas para começar a impulsionar a sua Instituição de Ensino a partir de hoje!

Pra baixar o material, é só acessar: https://materiais.gvdasa.com.br/gestao-financeira-saudavel-guiacompleto

Confira uma das dicas que você encontrará lá:
Sempre há um jeito de otimizar.

Uma área financeira eficiente e saudável consegue enxergar possibilidades de redução de custos. Até mesmo os itens mais simples, como materiais de limpeza e materiais de sala de aula, podem estar custando mais caro do que deveriam. Por isso é muito importante pesquisar fornecedores, buscar comparativos e tentar negociar. O pagamento à vista de alguns recursos, por exemplo, pode resultar em um bom desconto. Exija do time financeiro uma visão estratégica sobre os custos.

Dica de ouro: Trocar as planilhas e documentos administrativos impressos pelos digitais é uma maneira de contribuir com esse processo também.

Boa leitura!