Mudanças no MEC e ensino a distância: com qual tecnologia você conta?

Desde o início de um dos maiores desafios da gestão de instituições de ensino – o confinamento pela pandemia da COVID-19 – professores, coordenadores e gestores educacionais se adaptaram à educação online e às mudanças do MEC no que diz respeito ao ensino a distância.

O ajuste de carga horária e o cumprimento de calendário escolar, entre outras adaptações, passam diretamente pelo uso de ferramentas tecnológicas que antes não eram familiares à comunidade acadêmica. Mas, quais foram as principais mudanças que você enfrentou na gestão – e ainda vai enfrentar – e, principalmente, com quais tecnologias você pode contar agora?

Mudanças do MEC 2020: do ensino à distância à retomada de aulas

Mudanças nas diretrizes no ensino médio:

No dia 28 de abril de 2020, o Ministério da Educação (MEC) recebeu do Conselho Nacional de Educação (CNE) um documento que versa sobre as diferentes diretrizes no que diz respeito à nova oferta do ensino médio. O documento baseia-se em debates na CNE e na contribuição de mais de 90 áreas da educação no Brasil.

No dia 1 de junho de 2020, o documento de diretrizes curriculares foi homologado. Elas autorizam que as escolas comecem a proceder com as modificações da documentação, podendo começar a organização das novas formas de oferta do novo ensino médio. O ENEM foi um dos temas abordados no documento. Ele continua acontecendo em dois dias, porém em dois formatos: presencial e online.

Cursos para professores

Para escolas e instituições públicas, ou que não contam com recursos para treinamento, o MEC disponibiliza cursos online gratuitos sobre o uso de ferramentas tecnológicas na gestão de aulas a distância, baseado no programa Tempo de Aprender. Sobre a conectividade dos alunos, o MEC mantém o programa Educação Conectada.

Investir em capacitação é uma grande mudança de mentalidade para a gestão educacional, uma vez que o novo normal para a educação apresenta-se com poucas previsões e muitos desafios. O ideal é ter uma equipe com expertise técnica, para que possa pensar em estratégia.

Suspensão de aulas presenciais e seus desdobramentos

Em 18 de março o MEC flexibilizou o ensino, permitindo que escolas e universidades utilizassem o EAD como alternativa ao aprendizado presencial. Mas, segundo a portaria, é “de responsabilidade das instituições a definição das disciplinas que poderão ser substituídas, a disponibilização de ferramentas aos alunos que permitam o acompanhamento dos conteúdos ofertados bem como a realização de avaliações durante o período da autorização”.

Guiado por diretrizes que o mundo inteiro adotou, o Brasil teve ônus e bônus nessa adoção, como a necessidade de um aprendizado rápido de novas ferramentas e aplicação imediata de metodologias de ensino que pareciam antes ser ignoradas.

Dias letivos: carga horária modificada 

Se anteriormente eram 200 os dias letivos previstos em lei, o MEC flexibilizou a carga horária, podendo escolas e instituições de ensino superior redistribuí-la enquanto o confinamento fosse obrigatório.

Com o início da retomada das aulas presenciais, as instituições de ensino podem se posicionar de forma mais autônoma. Em São Paulo, por exemplo, a rede pública planeja a volta para antes do fim de 2020, em sistema de revezamento de alunos, além da aplicação de um ensino híbrido (parte presencial e parte online).

Como adequar os alunos às mudanças do MEC no ensino à distância

Se na sua instituição de ensino já decidiu-se sobre a retomada das aulas e todas as mudanças do MEC foram obedecidas, é fundamental que alunos e professores estejam alinhados a todas as alterações. Mas, como fazer isso de forma efetiva?

  • Estimule coordenadores e professores a fazerem pesquisas recorrentes;
  • Esteja a par das principais demandas de pais e alunos principalmente quando o assunto é a retomada de aulas. Em escolas, por exemplo, existem cuidados específicos com responsáveis de alunos ainda em idade infantil e também para aqueles que estão deixando a escola no próximo ano;
  • Você já tem um cronograma de envio de notícias sobre o momento de mudanças que a sua instituição está passando? Se não, essa é a hora de começar.

Tecnologias que ajudam no processo

Dentro da sua gestão educacional, devem existir diversas ferramentas que vão muito além do Zoom e Google Meets para manter alunos bem informados e de acordo com as mudanças do MEC e dos impactos que elas causaram em sua gestão.

Pesquise: saiba tudo tanto que alunos, professores e coordenadores pensam. Essa etapa é primordial para construir uma boa comunicação. Pesquisas são a base dessa estratégia.

Automatize: seus comunicados devem seguir uma cadência e ter uma continuidade. Invista em uma ferramenta de automação para que sua equipe tenha tempo de pensar em estratégia.

Centralize: o ideal é ter uma ferramenta 360, em que todas as pontas da gestão possam ser observadas e analisadas. Assim, quem gerencia consegue tomar decisões mais embasadas e comunicar de forma mais assertiva.



Deixe uma resposta