5 estratégias pedagógicas para promover a inclusão na sala de aula

Promover a inclusão na sala de aula de uma instituição de ensino continua sendo um dos maiores desafios. Porém, ainda que seja um processo que exige cuidado e dedicação de toda a equipe, esse é um esforço fundamental e pode garantir, inclusive, um aumento no reconhecimento da instituição.

Apesar de ser um direito previsto em lei, a verdade é que poucas salas de aulas estão realmente preparadas para lidar com estudantes portadores de deficiência. Preparar toda a equipe da instituição e promover ações junto aos colegas do estudante são alguns dos passos importantes para garantir que o mesmo se sinta acolhido.

E esse cuidado pode ser o diferencial entre a sua instituição e tantas outras, principalmente se você sofre com uma concorrência acirrada. Quer descobrir, afinal, como promover a inclusão na sala de aula e tornar sua instituição um lugar melhor para todos os estudantes? Continue lendo e confira!

1. Avalie cada aluno individualmente

O primeiro passo da educação inclusiva é entender que cada aluno é totalmente diferente do outro. Isso significa que os esforços para incluir estudantes portadores de deficiências é contínuo, e as estratégias utilizadas com um podem não ser necessárias (ou mesmo úteis) para outro.

E não é muito difícil entender o porquê: existem múltiplas deficiências, que podem incluir deficiência física (paraplegia, tetraplegia, etc), deficiência visual e auditiva e também estudantes com outros tipos de transtornos, como Espectro de Autismo, por exemplo.

Nesse sentido, é importante entender que o principal objetivo não é simplesmente lidar com a deficiência, mas ajudar o estudante a se sentir completamente acolhido e aproveitar todo o potencial do mesmo.

2. Fortaleça a comunicação com os responsáveis

No caso de instituições de ensino que lidam com crianças ou adolescentes, o acompanhamento dos pais é fundamental. É essa comunicação entre instituição e responsáveis que garante a eficiência nas estratégias de inclusão em sala de aula, tornando todo o processo educativo mais eficiente.

O ideal é que esse elo seja formado desde o momento em que o aluno é matriculado. Além disso, a forma como a instituição lidará com as dificuldades do estudante também será muito mais eficiente, se for pensada em conjunto com os responsáveis. 

3. Invista em uma equipe multidisciplinar

É difícil oferecer uma assessoria completa para um estudante portador de deficiência sem uma equipe multidisciplinar dentro da instituição. Uma equipe de múltiplos profissionais preparados tornará o aprendizado de todos os estudantes mais eficiente.

A ideia é que essa equipe consiga acompanhar o desenvolvimento do estudante e auxiliá-lo em suas principais dificuldades. Em alguns momentos, pode ser necessária a criação de rotinas de estudo fora da sala de aula, para garantir que o estudante consiga acompanhar o ritmo da turma. De toda forma, tudo isso é pensado em conjunto por uma equipe multidisciplinar preparada.

4. Use a tecnologia a favor do estudante

A tecnologia pode ajudar muito na sala de aula, e em diversos sentidos. Tablets e outros tipos de tecnologias podem ajudar o estudante a aprender melhor. Estudantes com dificuldades visuais, por exemplo, podem ganhar um outro tipo de experiência em sala de aula com o uso de tablets adaptados, que os ajudam na leitura dos materiais aplicados em sala de aula.

E esse é só um exemplo. Esse mesmo tablet adaptado também pode ser um facilitador para estudantes com dificuldades motoras ou mesmo com déficit de atenção. Em todo caso, o uso precisa ser acompanhado pelo professor e equipe multidisciplinar, para garantir que o estudante está realmente se adaptando à essa estratégia de ensino.

5. Prepare os professores e colegas para lidar com o estudante

Muitos alunos portadores de deficiência têm muito mais dificuldade no relacionamento com os colegas de sala do que com o aprendizado. E a socialização desses estudantes também precisa ser responsabilidade da instituição de ensino.

Uma maneira de lidar com isso é criar campanhas de conscientização, apresentando à turma as dificuldades do estudante portador de deficiência e mostrando como eles podem auxiliá-lo. Além disso, falar um pouco mais sobre o tipo de deficiência que o estudante possui pode ser importante para retirar o estigma de pessoas com a condição.

O que achou dessas estratégias para promover a inclusão na sala de aula? Se você gostou e está pronto para melhorar a gestão da sua instituição, nos siga através das redes sociais e tenha acesso à muito mais conteúdo sobre educação, administração e lucratividade para instituições de ensino!



Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.