Equipe de T.I na instituição de ensino e ferramenta de gestão educacional: como fazer dessa uma relação produtiva?

A equipe de T.I da instituição de ensino é primordial na hora da escolha da ferramenta de gestão educacional. Existem critérios técnicos que devem ser levados em consideração, que muitas vezes passam despercebidos.

O mercado de Educação mudou e muito nos últimos anos para as instituições de ensino. Em 2018, estimava-se que elas movimentavam cerca de 60 bilhões da nossa economia. Com um cenário tão estruturado e complexo como esse, as ferramentas de gestão educacional tornaram-se obrigatórias, e a importância de uma equipe de T.I eficiente no ambiente escolar e universitário cresceu junto à demanda.

Quais são as principais funções – e desafios – que um profissional de TI pode ter na hora que uma ferramenta de gestão educacional é escolhida e implementada na instituição de ensino? Convido você a uma reflexão na leitura desse artigo.

O que uma ferramenta de gestão educacional pode trazer para uma instituição de ensino?

Um software de gestão educacional pode ser revolucionário em vários sentidos no gerenciamento da instituição de ensino. Primeiramente, porque integra as informações. Depois, porque automatiza processos e gera mais rapidez e assertividade.

Assim, por meio dele, o corpo docente consegue organizar seu conteúdo de aula, enquanto a secretaria tem um controle mais preciso de entrada e saída. Ao mesmo tempo, a área de admissões tem dados mais precisos para tomar decisões.

Um sistema de gestão educacional proporciona:

  • maior autonomia das equipes
  • resultados precisos
  • conteúdo organizado e fácil de achar
  • redução de custos
  • diminuição da burocracia

Equipes de T.I na instituição de ensino: fundamentais na escolha de uma ferramenta de gestão educacional

E aí entramos no campo mais técnico e que todo profissional de T.I deve entender quando for assumir o cargo de gerenciamento da área em uma instituição de ensino. A complexidade desse ambiente – por menor que ele seja – vai ter todo seu suporte tecnológico dependente da área de T.I em primeira instância. Já falamos sobre como a equipe de T.I pode ajudar na autonomia tecnológica de outras equipes.

Ler artigo sobre equipe de T.I na instituição de ensino e a autonomia das outras equipes

Alguns critérios que a equipe de T.I na instituição de ensino deve estar atenta, pois outras equipes poderiam ter dificuldade de antever:
Assistência remota: uma equipe de T.I é sempre sobrecarregada já que tem que dar conta de atender todos os setores da instituição. Uma ferramenta que permita acesso remoto ajudaria, e muito, na autonomia das equipes e na maior liberdade da equipe de T.I
Criptografia: a segurança de dados é um assunto que envolve todos, mas é o departamento de T.I que consegue avaliar qual ferramenta oferece o melhor serviço nesse sentido.
Controle de conteúdo: o que um aluno pode ver, ou não, está determinado pela possibilidade de controle que a ferramenta de gestão educacional proporciona. Assim como a personalização do conteúdo.
Praticidade: o decisor da compra do softwares de gestão escolar pode deixar de lado o critério de, por exemplo, o quão intuitivo é o software para equipes que têm pouco contato com tecnologia. O gerente de T.I consegue visualizar esse fator como determinante até mesmo na hora de garantir mais autonomia para as equipes.

É importante lembrar que é a equipe de T.I na instituição de ensino que vai fazer funcionar a comunicabilidade entre setores e escolher a ferramenta que vai ajudar nesse processo é essencial. E aí, sua equipe de T.I está pronta para escolher o melhor sistema de gestão educacional?



Deixe uma resposta