Como fazer a avaliação institucional de forma assertiva?

A sua instituição de ensino superior faz parte de um panorama, do universo educacional de um país. Isso é uma grande responsabilidade. Não só em relação à qualidade de ensino oferecida a cada aluno matriculado, mas em relação ao compromisso social e científico estabelecido. Por isso a avaliação institucional pode ser um grande desafio: quanto maior a responsabilidade, maiores os obstáculos a serem superados. Como a sua gestão tem encarado esse momento?

A avaliação de instituição de ensino: um olhar por dentro da IES

A avaliação institucional é um termômetro e, se bem executada, um guia para a melhoria das IES. A última avaliação de instituições de ensino superior apontou que apenas 2% das IES brasileiras tiveram avaliação máxima.

Assim, é muito importante que a avaliação institucional de ensino superior seja muito precisa em cada etapa, para gerar dados condizentes com a realidade.

A avaliação institucional de IES é dividida em duas modalidades:
Autoavaliação – É etapa obrigatória do processo de regulação e avaliação das IES. A autoavaliação institucional é feita por meio de uma Comissão Própria de Avaliação formada por membros da comunidade acadêmica e tem como objetivo coletar as percepções de cada setor, gerando resultados para a próxima etapa, a avaliação externa.
Avaliação externa – realizadas pelo órgão do governo e pelo INEP, é baseada nos instrumentos de avaliação e relatórios da autoavaliação da IES.

Olhar para dentro, formar uma CPA que integre muito bem os setores é crucial no momento da autoavaliação. Uma autoavaliação correta, além de gerar dados precisos, atua como guia para evitar, por exemplo, evasão de alunos. Uma CPA bem formada é o primeiro passo. Quais os próximos?

Elaborando e executando a autoavaliação de IES

A autoavaliação deve obedecer a determinados critérios estabelecidos pelo Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior (SINAES). Segundo a Lei Federal n.10.861/04, instituidora do SINAES, toda instituição de ensino deve ter uma CPA.

Essa etapa do processo de autoavaliação da IES acontece no momento em que se está elaborando a pesquisa. Todo o processo é dividido em:

Elaboração: fase em que se compõe a CPA, seu cadastro é feito no INEP, levantam-se os segmentos a serem pesquisados. É momento também em que os membros acadêmicos são informados do momento e são convidados a responder à pesquisa.
Execução: nesse momento escolhem-se os métodos de coleta de dados, realizam-se reuniões, elaboram-se relatórios, elegem-se metodologias.
Consolidação: aqui é época de avaliação de dados e geração de resultados. É nesse momento também que se colhem os apontamentos para ações futuras e cria-se a entrega para a avaliação externa.

Como a minha avaliação institucional pode gerar dados precisos?

Um dos pontos cruciais na hora de coletar os dados é a adesão de alunos ao processo. Um dos motivos que diminui a aderência é a responsividade das plataformas em que a pesquisa é feita e o cumprimento de cada passo do processo.
Muitas CPAs têm dificuldade de cumprir esse passo a passo e correm o risco de terem uma autoavaliação ineficaz, com dados imprecisos. E a sensação de muitos gestores pode ser a de não ter conhecimento real do que os membros do universo acadêmico percebem da IES.

Que tal ampliar a assertividade da autoavaliação da sua instituição de ensino?

Uma checklist para sua CPA fazer uma autoavaliação nota 10

Para te apoiar nessa função tão importante, a GVdasa elaborou um material para te guiar desde a elaboração da autoavaliação até a coleta dos resultados: uma Checklist para sua Avaliação Institucional.

Nela, você encontra cada passo descrito em um formato fácil e didático e que, ainda, tem um bônus no final que pode transformar a forma como sua pesquisa será executada.

Baixar Checklist para Avaliação Institucional



Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.