Administração de IES: conheça os principais erros e saiba como evitá-los

A rápida expansão das instituições de ensino superior no Brasil trouxe à tona inúmeros casos de falta de qualidade gerencial e pedagógica. Conheça os erros mais comuns cometidos pelas IES e veja como evita-los:

 

  1. Análise superficial do cenário

Saber onde se está e aonde se quer chegar é a base para qualquer negócio. E no caso do mercado da educação, o estudo aprofundado do panorama não só da instituição, mas de todo o cenário que a rodeia é fundamental.

A avaliação de tendências de mercado, sinais de mudança ou retração, permite ao gestor adiantar movimentos. Ao prever uma crise econômica, por exemplo, ele pode segurar investimentos para preservar o caixa em caso de aumento da inadimplência. Outra boa referência é o caso da criação de novos cursos. Hoje, o mercado tem necessidades cada vez mais específicas e os jovens buscam instituições que ofereçam muito mais do que os cursos clássicos.

 

  1. Falta de monitoramento

Hoje em dia, temos acesso a um montante enorme de dados. Mas de nada adianta ter acesso a essas informações se a análise delas não servir para gerar bons resultados a instituição. A partir de um monitoramento bem feito, é possível, por exemplo, prever crises, encontrar oportunidades de negócio, embasar a tomada de decisão e dar uma atenção especial aos alunos que apresentam risco de evasão.

 

  1. Formação descontinuada dos docentes

Além de envolver os professores e os outros colaboradores no planejamento da instituição de ensino superior, é preciso manter a equipe constantemente capacitada, atualizada e motivada. Investir na formação contínua dos professores universitários e comemorar as conquistas desses profissionais, por menores que sejam, é uma forma de valorizar aqueles que contribuem para os bons resultados da universidade.

 

Administração de IES: conheça os principais erros e saiba como evitá-los

 

  1.  Alunos desinteressados

Os jovens de hoje estão sempre conectados. E a internet é uma fonte infinita de informações. Sendo assim, os professores precisam se adaptar às novas técnicas de ensino para prender a atenção dos alunos com o seu conhecimento. Além disso, é preciso que o educador abra espaço para que o estudante também expresse a sua opinião, criando, assim, um círculo de discussão saudável dentro do ambiente educacional.

 

  1. Administração no papel

Junto com a deficiência na qualidade da educação, a expansão rápida das instituições de ensino superior gera outro problema: a dificuldade do controle administrativo do negócio. Se considerarmos que as instituições estão interessadas em preencher as suas vagas ociosas, o número de alunos que frequenta as universidades é cada vez maior. Sendo assim, é preciso contar com o auxílio de sistemas de gestão capazes de otimizar tanto o processo de aprendizagem dos estudantes quanto o desempenho dos professores.

 

  1. Necessidade de inovação

No mercado atual, enxergar a instituição de ensino como uma empresa que precisa ser competitiva e estar sempre um passo à frente da concorrência, é um dos requisitos para sustentar o negócio. E uma empresa só consegue se manter assim quando conta com clientes satisfeitos. No caso de uma IES, os clientes são os alunos, e a inovação progressiva e permanente de aspectos como a metodologia de ensino e a tecnologia utilizada é essencial na hora de disputar a preferência dos jovens.



Deixe uma resposta